Colecionar 2017 terá selos em braille

Uma coleção de selos em braille, destinada às pessoas com deficiência visual. Esta é uma das novidades da colecionar 2017, evento de multicolecionismo inédito, que acontece em Brasília, entre os dias 24 e 29 de outubro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, com entrada franca.

Além de selos em braile, a coleção é constituída de exemplares que permitem uma experiência sensorial também por meio de sons e cheiros, de forma que a pessoa com deficiência terá acesso a peças com vários diferenciais.

Um dos principais entusiastas da inclusão social dos cegos no universo da filatelia é o colecionador Sergio Marques, da Associação de Jornalistas Filatélicos, que estuda o tema há vários anos. Ele participa da Colecionar 2017, e defende ser preciso criar formas de participação dos deficientes visuais nestes eventos, sobretudo, como forma de ampliar o acesso à cultura.

Pouca gente sabe, mas o Brasil, em 1974, foi o primeiro país no mundo a emitir o selo com legendas em braile. Em 1979, para comemorar os 150 anos da primeira publicação em braille no mundo, o Brasil emitiu um novo selo com a legenda: “Ao tocar os relevos de papel, o cego participa da evolução do mundo”.

Já em 2013, os Correios homenagearam a Fundação Dorina Nowill, uma instituição que busca a inclusão de pessoas com deficiência visual, especialmente na educação e cultura. Dorina ficou conhecida por ser a primeira aluna cega matriculada em escola de ensino regular no Brasil. Saiba mais:

Assessoria de imprensa Colecionar 2017

Fontes :http://www.sppaulista.com.br/2011/06/26/filatelia-para-cegos/

https://mundoestranho.abril.com.br/cultura/e-verdade-que-o-brasil-inventou-os-selos-em-braille/